Sexta Dimensão , Resident Evil: terror, gore e sobrevivência , Artigos , Games , Halloween , Resident Evil ,

Resident Evil: terror, gore e sobrevivência


Finalmente chegou o momento de falar aqui no Sexta Dimensão sobre uma das minhas coisas preferidas de todos os tempos: Resident Evil! É uma franquia originalmente de videogames, mas que foi expandida pra livros, filmes, mangás, etc, devido ao seu sucesso absurdo. Se você não conhece (como não?) se prepare e se você já conhece vem reviver um pouco dessa maravilha.

Em época de Halloween que estamos, jogar Resident Evil é uma coisa imperdível. Os primeiros jogos da franquia fizeram todo mundo se borrar de medo com uma atmosfera de solidão e angústia. Pelo menos é assim que eu me sentia jogando ou quando assistia meu pai jogar quando era menor. Mas solidão? Por quê? Nos jogos estávamos quase sempre sozinhos em meio a um cenário aterrorizante cheio de perigos iminentes, daí a angústia também.

Pra situar quem não está familiarizado com Resident Evil (ou Biohazard), os personagens principais são Chris Redfield, Jill Valentine, Leon Scott Kennedy e Claire Redfield. O início da série consistia na investigação de casos de homicídio e canibalismo nos arredores da cidade fictícia de Raccoon City. Isso é apenas o pontapé para a batalha conta a Umbrella Corporation, uma empresa farmacêutica responsável por experiências de laboratório com vírus que deram origem à mutações em humanos e outros organismos vivos. Sim, os famosos zumbis. A Umbrella causou a destruição de cidades inteiras (RIP Raccoon City) e a morte de milhões no mundo de Resident Evil. Tudo isso ainda puxa pra uma questão de bioterrorismo, que é "o terrorismo praticado por meio da liberação ou disseminação intencional de agentes biológicos, vírus ou toxinas."

Criado por Shinji Mikami, o primeiro jogo foi lançado em 1996 pela Capcom e popularizou o estilo survival horror, onde o principal objetivo é a sobrevivência em meio a um cenário/situação de terror. Desde então o sucesso foi imenso, várias continuações e spin-offs foram produzidos e continuam sendo. Dos mais recentes, Resident Evil 4 foi um sucesso, que mudou bem o estilo original, mas conquistou uma nova legião de fãs. Uma série de filmes de ficção baseada na franquia também foi popularizada estrelando a atriz Milla Jovovich e arrecadou mais de 1 bilhão de dólares mundialmente, além de outros filmes em computação gráfica.

Pronta pra atacar.
Os jogos traziam enigmas a serem resolvidos para avançar na história, o que torna também os games muito interessantes e tem que quebrar a cabeça mesmo. Não era só ficar atirando em zumbis e outras criaturas o tempo todo. Era importante preservar munição, tentar não se machucar e escolher bem os itens, você se sentia numa situação de sobrevivência mesmo. A trilha sonora também ajuda muito na atmosfera de terror, escuta isso aqui e você vai saber do que eu tô falando. O alívio era entrar na famosa Save Room (pra salvar o jogo) e você sabia que estaria seguro lá.

A coisa mais assustadora era a sensação de algo estava pra acontecer sempre. E mesmo quando o jogador estava andando de boas pelo cenário... SURPRESA! De repente você não pode nem se recuperar do susto e precisa lutar com cachorros zumbis, corvos e o pior de todos, o Nemesis, nosso inimigo principal em Resident Evil 3, o meu jogo preferido.

Ataque cardíaco.
Além disso, a franquia sempre teve muito gore. Mortes bem perturbadoras, sangue e violência a mil. Tem que ter estômago. Os jogos atuais ainda dão um ~leve~ medinho de vez em quando, mas isso se perdeu um pouco em meio a ação. Porém, o gore continua ali, agora em qualidade HD e até mesmo em realidade virtual, então é quase um próprio banho de sangue na sua cara.

Pra finalizar, Resident Evil é uma franquia maravilhosa que merece ser experienciada. Aproveite o Dia das Bruxas ou qualquer outra data pra mergulhar nos jogos ou nos filmes, garanto que vale a pena.

E aí, vai encarar?

6 comentários:

  1. Apesar de amar a franquia e ser fã dos filmes, nunca consegui gostar dos jogos. Sei que o jogo evoluiu muito com o tempo e fiquei boba quando vi o gameplay do mais atual. FIQUEI COM MEDO haiuhaIUahIUaHIUAHUIHAIA. Mas não sei se conseguiria jogar.

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Difícil ver alguém que prefere os filmes do que os jogos AHAHAHA Eu amo os dois, por isso sugiro tentar experimentar mais dos jogos :p

      Excluir
  2. Até hoje eu só vi umas cenas quebradas dos filmes, mas ainda não me introduzi realmente na história... um crime, já que eu amo zumbis haha. Adoro essa coisa meio psicológica que você disse que tem por conta da angústia e solidão! Será que eu acho os filmes na Netflix? De todo jeito, vou tentar ver tudo e jogar, pois gosto desse estilo mais ~gore~ haha <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem quase todos os filmes na Netflix se não me engano! Se joga porque é uma delícia AHAHA Eu já vi todos umas 100 vezes e não canso. E tente jogar também, é melhor ainda.

      Excluir
  3. Tenho curiosidade? Tenho
    Tenho coragem? NENHUMA! ahahahaha

    ResponderExcluir
  4. Eu assisti os primeiros e depois dei uma cansada. Acompanhei os demais meio que aleatoriamente, conforme ia passando na TV. De vez em quando me pego assistindo algum, haha.

    ResponderExcluir