Sexta Dimensão , Resenha: HQ Resident Evil - Panini , HQ , Livros , Resenhas , Resident Evil , Reviews ,

Resenha: HQ Resident Evil - Panini


Eu sou um grande fã de Resident Evil, acho que deixei isso bem claro através desse post, que inclusive foi um dos meus favoritos de fazer! Com o nosso posto de fã, chega a vontade de incontrolável de consumir tudo que contém aquela marca, não é mesmo? E Resident Evil é daquelas que vêm pra destruir nossos bolsos com vários tipos de produtos, se expandindo de vários videogames para filmes, revistas, livros e... HQs.

A editora americana Wildstorm lançou em 2009 uma série de seis gibis inspirados no universo de Resident Evil - mais especificamente no quinto jogo da franquia - que mais tarde foram compilados em um só pela Panini no Brasil, com pouco mais de 140 páginas.
Nas profundas selvas da América do Sul, dois agentes das forças de defesa humana contra bioarmas desvendam uma conspiração que envolve corporações gigantescas, governos corruptos e as consequências de um vírus capaz de transformar pessoas comuns em verdadeiras máquinas de genocídio.
O quadrinho ficou à cargo do veterano roteirista de games Ricardo Sanchez e os artistas Kevin Sharpe e o brasileiro Jheremy RaapackÉ uma história sem personagens originais dos games e sem uma ligação canônica com a série, mas traz mais uma aventura separada.


Pra começar, não que seja de extrema importância, mas queria dizer que o nome do protagonista Holiday Sugarman é o mais ridículo que já vi; e o cara também não tem uma personalidade forte, convenhamos. Os protagonistas são o típico clichê machão musculoso e gostosa badass e algumas falas ficam no mesmo patamar. Rola umas histórias do passado dos personagens que trazem um certo aprofundamento para conhecermos melhor ambos, mas nada muito convincente, até mesmo por ser um enredo curto e rápido.

Se esse ponto acima é uma coisa negativa pra uma parte, é mais positivo em outra. Não temos nenhuma enrolação, tudo vai direto ao ponto e recebemos as respostas para os eventos que acontecem de forma bem ágil, sem pontas soltas.


É como assistir à uma grande cutscene de um dos jogos. As artes trazem muito gore e sangue no melhor estilo Resident Evil de ser, misturados a uma ação desenfreada. Até mesmo o vilão e a missão dos agentes e soldados da BSAA (Aliança de Segurança e Avaliação em Bioterrorismo) se assemelha muito, o que com certeza vai fazer o fã que estiver lendo se sentindo em casa.

Vendo no geral, a HQ é um tanto mediana, quase fraca, mas não que não valha a pena ler, é uma boa diversão e distração, só não traz nada extraordinário. Quem não é familiarizado com Resident Evil consegue ler sem ficar perdido e de quebra conhecer um pouco um dos assuntos abordados pela série, o bioterrorismo. Daria 3 estrelinhas de 5.

2 comentários:

  1. great post dear. i really like the way your blog looks.
    i followed you and i hope that you'll follow me too. (GFC)
    http://casaninnamamma.blogspot.it

    ResponderExcluir
  2. Quer dizer que agora teremos resenhas de HQ aqui? Já gostei e estou ansiosa para ver mais!

    ResponderExcluir